Blog     13 Ago, 2020

Só Executivo pode propor lei que dispõe sobre estabilidade de servidores

  232

Só Executivo pode propor lei que dispõe sobre estabilidade de servidores.

Lei que dispõe sobre estabilidade de servidores é de competência privativa do chefe do Executivo. Com esse entendimento, o Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro concedeu liminar, nesta segunda-feira (10/8), para suspender a Lei Municipal de São Gonçalo 955/2019. A norma desobriga do estágio probatório os professores e médicos do quadro efetivo aprovados em novo concurso público para uma segunda matrícula.

O relator do caso, desembargador Werson Rêgo, afirmou que a exigência para servidores adquirirem estabilidade é a prévia observância do estágio probatório, além da avaliação especial de desempenho.

A matéria é de iniciativa privativa do chefe do Executivo, conforme o artigo 112, parágrafo 1º, inciso II, alínea ‘b’, da Constituição fluminense, e o artigo 33, II, da Lei Orgânica do município de São Gonçalo, apontou o magistrado. Porém, ressaltou, a Lei 955/2019 foi proposta pela Câmara Municipal.

Além da probabilidade do direito, o relator destacou que há perigo da demora que justifica a concessão de liminar. “É de se ter em mente os desdobramentos acarretados pela possibilidade de aquisição de estabilidade dos servidores que, dispensados do estágio probatório, não foram submetidos à avaliação de desempenho por comissão instituída para tal fim”.

 

Clique aqui para ler a decisão
Processo 0068128-09.2019.8.19.0000